Suplementação e fármacos

Doping: Aspectos históricos, conceitos e perspectivas.

O termo doping significa dopagem (to dope = “adicionar substância estranha” + sufixo “agem”) e neste caso consiste no ato de introduzir substância(s) estranha(s) no organismo, de forma intencional e ilícita para melhorar o desempenho físico. Normalmente estas substâncias são pertencentes às classes de agentes farmacológicos proibidos e/ou do uso de vários métodos proibidos. Nas palavras de Juan Antonio Samaranch (1920-2010), ex-presidente do COI afirma que:

“O Doping é fraude. O Doping é consangüíneo com a morte. Morte fisiológica causada pela alteração profunda, algumas vezes irreversível, dos processos normais através de manipulações injustificáveis. Morte física, como certos casos trágicos mostrados nos recentes anos. Mas também, morte espiritual e intelectual, pela aceitação de fraudar e ocultar a capacidade de alguém, pelo reconhecimento da incapacidade de alguém ou relutância em aceitar-se ou transcender seu limite. E finalmente a morte moral por excluir-se de fato das regras de conduta requisitadas por toda a sociedade humana.”

O uso de substâncias no contexto do doping possui origens bastante antigas e até mesmo primitivas. Na cultura Indiana havia uma bebida chamada vajepeya, que significa “a bebida da Força”, para esse povo a Força era tão valorizada que durante alguns festivais religiosos eram feitos rituais com sangue para os deuses (HAYCOCK, 1998).  Lutadores gregos comiam enorme quantidade de carne objetivando um melhor desenvolvimento muscular e segundo alguns pesquisadores os guerreiros vikings conhecidos como berserkers, comiam certos cogumelos alucinógenos para se preparar para uma batalha.

Já no que se refere à substâncias sintéticas, acredita-se que os primeiros atletas de competição a usar substâncias químicas sintéticas visando incrementos no rendimento esportivo foram alguns nadadores em Amsterdam por volta de 1860, supõe-se que usavam uma combinação de estricnina, cafeína e cocaína (NIDA RESEARCH REPORT SERIES, 1995).

Casos de doping provocados por suplementos alimentares

Pesquisas mostram que suplementos alimentares podem apresentar em alguns casos, substâncias que em muitos casos podem provocar exames positivos no teste antidoping em atletas. Embora existam suspeitas de que em alguns casos essa situação seja provocada intencionalmente, como não existem evidências diretas deste fato, atribui-se este resultado à contaminação cruzada. Neste caso, se considera que durante a fabricação de um dado suplemento alimentar, tenha ocorrido o contato com alguma substância(s), provocando assim o seu aparecimento no produto.

Segundo alguns relatos, a fundamentação para “contaminar” suplementos alimentares com substâncias proibidas se baseia na possibilidade de gerar resultados mais rápidos e expressivos, fazendo com que o consumidor passe a buscar sempre pela mesma empresa fabricante, sendo dessa forma “fidelizado”.

De acordo com MAUGHAN et al (2003), esta situação pode ocorrer com diversos tipos de suplementos alimentares como: creatina, l-carnitina, hiperprotéicos, termogênicos, entre outros. Sugere-se optar por marcas de boa qualidade no mercado e que já estejam estabelecidas no mercado.

Perspectivas

Em 2005 foram confiscados carregamentos de vitamina C, multivitamínicos e tabletes de magnésio, devido à presença de contaminação com os esteróides anabolizantes androgênicos estanozolol e metandiona. Além disso, novas substâncias dopantes (prostanozol, metasterona, androstienediona, etc…) tem sido oferecidas em suplementos alimentares no mercado e no futuro são esperados novos casos de contaminação cruzada com estas substâncias, caso já observado em suplementos contendo clenbuterol (GEYER et al, 2008).

Pense nisso !!!

De acordo com a norma NBR 6023 da ABNT esse post deve ser citado como: CASIMIRO-LOPES G. Doping: Aspectos históricos, conceitos e perspectivas. Blog PenseETreine. Rio de Janeiro, ano 1, julho. 2011. Disponível em: [endereço da URL]. Acesso em: dia mês. ano.

(Publicado originalmente em 01/07/2011)

1 Comment

  1. Mais uma Razão p/ galera da pressão alta ficar de olho nas coisas que andam tomando, mtu bom o post, parabéns!

Leave a Reply

Theme by Anders Norén